quinta-feira, 7 de outubro de 2010

-" Pavilhão de Portugal na Expo de Shangai"





O pavilhão português -- um edifício de 2000 metros quadrados, todo revestido de cortiça -- evidencia os 500 anos de contactos entre Portugal e China e a atual "aposta portuguesa nas energias renováveis".



A venda de pastéis de nata na cafetaria do pavilhão de Portugal na Expo2010 chegou ao recorde de 17 000 na quinta feira, o dia mais concorrido do certame, com cerca de 630 000 visitantes.



A afluência ao pavilhão de Portugal foi também a maior de sempre desde a abertura da Expo2010, no passado dia 01 de maio.

«Tivemos cerca de 75 000 visitantes, que é quase o dobro do anterior recorde. Foi um dia especial em tudo, com filas permanentes para entrar no pavilhão e até para comprar pastéis de nata», disse à agência Lusa um responsável português.

Cada pastel de nata custa 5 yuan (60 cêntimos).

Introduzido no continente chinês há cerca de uma década, o pastel de nata («pu shi dan ta», expressão que significa, literalmente, «tarte de ovo de estilo português») é também uma das especialidades da «Júlia Food Co», a empresa de Xangai concessionária da cafetaria-restaurante do pavilhão português.

A Júlia Food Co tem mais de 30 lojas em Xangai, com cozinheiros de Macau, mas para a Expo2010 contratou o chefe Bruno Magro, que trabalhava num dos raros restaurantes de cozinha portuguesa em Pequim.



A Expo2010, dedicada ao tema «Better City, Better Life» (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida), é a maior exposição universal de sempre, com mais de 240 países e organizações internacionais, e pretende ser também a mais concorrida.

Até quinta feira passada, o número global de visitantes já tinha ultrapassado os 55 milhões e até ao final do certame, a 31 de outubro, os organizadores esperam chegar aos 70 milhões, mais seis milhões que o atual recorde, estabelecido há 40 anos na Expo de Osaka, no Japão.



O pavilhão de Portugal já foi visitado por quase 3,5 milhões de pessoas, um recorde na história da participação portuguesa em exposições universais.





Fonte: Agencia Lusa.







Sem comentários:

Enviar um comentário