Estatística

Para consultar elementos de estatística faça clique no mapa.

Países dos leitores

Free counters!

sábado, 12 de abril de 2014

-" Conheça a verdadeira casa dos “Flintstones”, em Portugal "

Conhecida na região como “Casa dos Penedos” ou dos “Flintstones”, o local atrai turistas para conhecerem a casa feita totalmente de pedras na região de Fafe. O estilo de vida natural é tão levado a sério que a casa não possui energia elétrica.



Feita totalmente em pedra, a casa construída em 1972, seria o local de descanso de uma família portuguesa, mas virou um atrativo turístico. A casa que ficou famosa por seu estilo peculiar está localizada na região de Fafe, no norte de Portugal, a cerca de 10 quilômetros da cidade com o mesmo nome.
Conhecida na região como “Casa dos Penedos”, por estar construída entre quatro grandes pedras (penedo quer dizer “pedra grande”), ela demorou dois anos para ficar pronta e as únicas coisas que não são de pedra, são as janelas e portas (ambas de madeira).


A casa é a grande atração turística da cidade de Fafe que possui 14 mil habitantes e incríveis 36 igrejas. Por mais que o local se tenha transformado num ponto turístico, a “Casa dos Flintstones” não está aberta ao público. Porém, é possível apreciá-la por fora e sentir-se na Idade da Pedra.
Por mais que não possa conhece-la por dentro, não é proibido dar uma espiadinha pelas janelas. Todos os móveis são feitos de troncos de madeira que foram reaproveitados. Por exemplo, o sofá foi criado a partir de um grande tronco de eucalipto e pesa mais de 350 quilos.
Segundo informações de Victor Rodrigues que é o proprietário do imóvel, a casa de dois andares não possui energia elétrica, pois ele acredita que o local incomum representa o caminho entre as pessoas e a natureza.
Localização
A “Casa dos Penedos” está localizada entre as cidades de Fafe e Celórico de Basto, no norte de Portugal, no distrito de Braga. Fafe está situada há mais de 300 km ao norte de Lisboa, capital de Portugal.
.
Adaptado de material de Dennys Marcel

Sem comentários:

Enviar um comentário