terça-feira, 25 de março de 2014

-"Como uma fístula anal deu origem ao hino inglês"

O caro leitor era capaz de imaginar que o hino inglês foi criado graças à fístula anal de um  rei francês ? ...
Há quem diga que assim foi, embora os historiadores ingleses procurem negar; mas como os historiadores ingleses não merecem crédito, acreditamos na versão apresentada pelo guia cultural do museu do Louvre e do palácio de Versailles que se segue. 


Por Tom Pav
esi (
 publicado na revista Cultura & Arte ( Brasil )
Em1686, Louis XIV, 48 anos, o soberano mais poderoso da Europa,estava  prestes a perder uma batalha de ordem privada, uma batalhcontra uma doença incómoda:
O rei sofria os horrores de uma fístula anal.


Seu médico, Antoine D Aquin, tentou resolver o problema com os meios disponíveis na medicina da época: remédios, pomadas, cataplasmas e outras aplicações cutâneas reputadas como sendo perigosas. Nada ! ...
O  rei prostrado anulou  festas,  cavalgadas  e aparições em público e, da sua cama, ditava ordens e dirigia o país. O rumor  era que o rei estava morrendo.
Um dia, o cirurgião Charles-François Félix de Tassy, depois de testar em pobres, mendigos e pacientes abandonados em hospitais e hospícios um método inovador de tratar essa doença, tomou a decisão de operá-lo. E assim foi feita uma incisão no canal do ânus real com um bisturi de lâmina curva, inventado especialmente para esta intervenção cirúrgica.
A operação, realizada sem anestesia, foi um sucesso. Louis XIV aguentou tudo, afrontou o mal com muita coragem e, como nas batalhas, foi vitorioso de uma guerra dada por muitos como perdida. No mesmo dia, após um leve descanso, encontrou com ministros, tratou de assuntos cotidianos e diplomáticos e fez uma aparição pública para ser aclamado pela corte.
O rei voltou mais forte, divino, mais soberano do que nunca.
Após a cirurgia, Louis XIV fez uma visita à Maison Royale de Saint- Louis, escola recém-construída para as filhas de nobres mortos pela França. A religiosa fundadora, Madame de Brinon, querendo agradar o rei, escreveu um texto para ser declamado pelas alunas: Grand Dieu sauve le Roi. Mais tarde este poema foi colocado em música pelo compositor   oficial   de   Versalhe Giovanni   Battist Lulli e se transformou  em  hino  real  francês até final da monarquia absoluta em 1792.



GranDieu, sauvez le Roi !
GranDieu, vengez le Roi !

Vive le Ro!

Quà jamais glorieux

Louis victorieux

Voye ses ennemis

Toujours soumis




Vinte e oito anos mais tarde, o compositor alemão Georg Friedrich Händel, convidado em  Versailles conseguiu  permissão  para copiar o texto e a música.


Traduzido para o inglês pelo músico e poeta Henry Carey,  ndel vende ao rei da Inglaterra, Georges I, a “nova” composição, God Save the King.










God save our gracious King,
Long live our noble King,
God save the King !
Send him victorious,
Happy and glorious,
Long to reign over us,
God save the King !


E foi assim que graças à colaboração de uma francesa, Madame de BRION,  de um italiano, LULLY, de um inglês, CAREY, de um alemão, HAËNDEL, de um bisturi inventado por um dico francês e da fístula anal de Louis XIV nasceu o hino nacional actual da Inglaterra:


                                         God Save the King (Queen).


2 comentários:

  1. bem............o ânus é por onde sai o resíduo não aproveitado dos alimentos mas que sim, ainda pode servir de adubo . Biodigestores = um processo pelo qual o esgoto é jogado num lago onde um determinado tipo de peixe come os detritos humanos . Merda é coisa que também serve prá alguma coisa , ânus é claro também, senão explodiria o rei e todos nós . Um fístula um bisturi um médico ousado um mestre da música e uma mulher corajosa e fofoqueira deram origem ao hino da Inglaterra - sei , pode ser . Hino aliás lindíssimo. Se nasceu em França no cu do rei , isso certamente não afeta a Inglaterra . O assunto é pitoresco e como tal vou compartilhá-lo sim. God save the king, the queen e que os cus dos franceses continuem com fístulas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amén, minha amiga. La Palisse não diria melhor ! ... Pode se dizer que é um hino bem adubado ...

      Eliminar